Especialista em segurança da informação e TSCM

Sócio fundador da  NESS Processos e Tecnologia desde 1991. Trabalha com prestação de serviços em processos e tecnologia desde 1985. Focado em segurança da informação, se tornou especialista em privacidade, contramedidas, contra-inteligência, segurança e investigações.

 

Membro da ERII – Espionage Research Institute International

Segurança

Privacidade (do inglês privacy) é o direito à reserva de informações pessoais e da própria vida privada: the right to be let alone (literalmente “o direito de ser deixado em paz”), segundo o jurista norte-americano Louis Brandeis, que foi provavelmente o primeiro a formular o conceito de direito à privacidade, juntamente com Samuel Warren. Pode ser também entendida como o direito de controlar a exposição e a disponibilidade de informações acerca de si. Relaciona-se com a capacidade de existir na sociedade de forma anônima (inclusive pelo disfarce de um pseudônimo ou por um identidade falsa).Alguns acadêmicos dividem a privacidade em 3 tópicos:O direito de não ser monitorado, entendido como o direito de não ser visto, ouvido, interceptado, etc.Direito de não ser registro, entendido como direito de não ter imagens gravadas, conversas gravadas, etc. Direito de não ser reconhecido, entendido como direito a não ter imagens e conversas anteriormente gravadas publicadas na internet em outro meios de comunicação.Do ponto de vista digital, a privacidade perdeu o rumo completamente. As redes sociais, os aplicativos de mensagens, as câmeras, a vida online transformou-nos em personagens de reality shows. Em todos os três tópicos descritos, o grande fomentador de dados podemos ser nós mesmos. Check in em aplicativos de localização, utilização de Smartphone, conta em softwares de colaboração que geolocalização quando são utilizados, etc. A preservação da privacidade não passa pela ignorância da existência dessa vida digital. Estamos todos expostos a ela, e não é mais admissível cobrar da sociedade a conta de se manter discreto. O papel de manter a privacidade não é mais uma questão que pode ser debatida como um direito natural, ao contrario é uma atividade cotidiana. Para preservarmos nossos dados e nossa imagem, hoje, temos que cotidianamente pensar em como não compartilhar.